O fígado desempenha diversas funções, dentre elas a desintoxicação, o armazenamento de vitaminas e a sintetização do colesterol. Pode ser acometido por diversas doenças, dentre elas a hepatite.

A hepatite é uma doença de notificação compulsória, ocasionada por uma inflamação no fígado que pode ser ocasionada por um vírus ou pelo uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, como também por algumas outras doenças (doença autoimune, genéticas)

Em muitos casos, é uma doença silenciosa (não apresenta sintomas), mas, quando há sintomas, podem ser: cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

As hepatites são um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo. No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C, sendo que milhões de brasileiros são portadores dos vírus B ou C e não sabem, correndo o risco de ter a doença cronificada e podendo evoluir com graves danos ao fígado, como a cirrose e o câncer.

Também existem as hepatites causadas pelos vírus D e E, esse último mais frequente na África e na Ásia.

Para analisar a necessidade de realizar exames que detectem as hepatites, observe:

  • Exposição a contágio fecal-oral (condições precárias de higiene pessoal e dos alimentos, de saneamento básico e ausência de água potável);
  • Prática de sexo não seguro e/ou compartilhamento de seringas, agulhas, lâminas de barbear, alicates de unha e outros objetos perfurocortantes (transmissão sanguínea)
  • Gestantes ou puérperas – possibilidade de transmissão sanguínea da mãe para o filho durante a gestação, parto ou amamentação.

Hepatite A e E: geralmente ocasionadas por contaminação de alimentos ou água. Apresentam apenas formas agudas (sem potencial para cronificar), podendo se recuperar completamente.

Hepatites B, C e D: em sua maioria ocasionadas por contato com fluídos corporais infectados, sendo muito comum a ocorrência através da transfusão de sangue. A hepatite B pode ocorrer também através do contato sexual, da mãe infectada para o bebê. Estas podem apresentar quadros agudos ou crônicos (quando a doença persiste no organismo por mais de 6 meses)

Devido a importância desta patologia, a Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu o dia 28 de Julho como a data para sensibilizar e gerar maior compreensão da população sobre as hepatites, incentivando as medidas de prevenção e controle.

Assim, neste mês de Julho, concentre-se em medidas específicas como:

  • Fortalecer a prevenção (ter hábitos de higiene pessoal, higiene de alimentos, uso de água potável, não compartilhas agulhas e seringas ou alicates de unha e uso de preservativo)
  • Detectar a presença do vírus e, assim, controlar as hepatites virais e doenças relacionadas
  • Expandir a cobertura da vacinação contra a Hepatite A e B

Indivíduos com hepatite podem ter uma vida normal. As chances de cura, com o tratamento adequado a cada uma delas, é grande. Para tal, é necessário o diagnóstico precoce.

Saúde Não é um Ato, é um Hábito. Previna-se.